top of page
Buscar

Fórum do Agronegócio Sustentável coloca em pauta o protagonismo do Brasil como potência agro ambiental

Atualizado: 5 de mar.





Realizado pelo Instituto Mineiro de Agronegócio Sustentável (IMAS) e pela Cooperativa dos Cafeicultores do Cerrado de Araguari e Região Ltda (Coocacer), o Fórum do Agronegócio Sustentável com Tecnologia e Inovação reuniu em Araguari (MG), na quinta-feira, 29 de fevereiro, os principais representantes e lideranças do agro para tratar principalmente da importância de o Brasil assumir um protagonismo mundial na chamada economia verde.

 

O evento contou com a idealização do Projeto Café Sustentável, que faz parte das ações do IMAS em conjunto com o deputado federal Zé Vitor (PL-MG). Os temas de debates e workshops ligados à sustentabilidade abordaram os eixos educacional, ambiental, social, econômico e governança.

 

Abertura com grandes nomes do agronegócio brasileiro


O reitor do Imepac e presidente do Hospital Sagrada Família, José Julio Lafayette, deu início aos pronunciamentos. “Não há dúvidas que o Brasil é referência em sustentabilidade no agro. Temos o compromisso de fazer muitos projetos com tecnologia e inovação, sempre pensando em soluções sustentáveis,” afirmou

 

Por vídeo chamada, a senadora Tereza Cristina (PP-MS) fez menção ao protagonismo feminino na produção de cafés especiais e abordou várias iniciativas positivas do país, como a qualidade do Código Florestal, projetos para redução da emissão de carbono e a importância do cooperativismo para fortalecer o agro. “O produtor brasileiro não é o vilão, ele é parte da solução para os problemas ambientais do país,” destaca.

 

O Secretário de Estado de Agricultura de Minas Gerais, Thales Almeida Pereira Fernandes, pontuou as ações em andamento do estado em prol do agro. “Nós sabemos o que fazemos. Precisamos mostrar isso para o mundo, tanto da produção quanto da preservação,” ressaltou. Na ocasião, Thales entregou à Coocacer o certificado de Armazém 001 do programa Certifica Minas, sendo a primeira organização a recebê-lo em 2024. “O Triângulo Mineiro e o Alto Paranaíba são a locomotiva do agro de Minas Gerais,” expôs. 

 

Um dos grandes desafios do Brasil é ter o devido reconhecimento como potência verde. O deputado federal Pedro Lupion (PP), presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, (FPA) destacou a necessidade de valorização dos produtores. “O agro gera mais de 30% dos empregos no país, mais de 55% das exportações. É preciso que o produtor seja minimamente respeitado,” afirma.

 

Em seu discurso, o deputado federal Zé Vitor, idealizador e apoiador do Fórum, que não mediu esforços para mobilizar autoridades políticas envolvidas no setor para estarem conectados diretamente no evento aos elos que fazem o agronegócio acontecer, motivado por promover pensamentos e ações de forma integrada e organizada para alcance de resultados sustentáveis, fez um apelo à união. “Citando Guimarães Rosa, ‘quem elegeu a busca não pode negar a travessia’. Decidimos buscar um agro sustentável e que se tornou referência. Por vezes somos atacados, tentam minimizar o trabalho. Mas é por isso que estamos aqui, para fortalecermos uns aos outros,” declarou.

 

Presidente da Federação dos Cafeicultores do Cerrado, Gláucio de Castro destacou ações cotidianas que podem ser facilmente implementadas desde o pequeno ao grande produtor. “São práticas simples, que qualquer agricultor pode reproduzir na sua lavoura, e que trazem muitos benefícios. Este Fórum tem o papel de traz informação e maneiras práticas para produzir com qualidade,” pontua.

 

O prefeito de Araguari, Renato Carvalho, enalteceu em seu discurso a importância de leis que incentivem a economia e ao mesmo tempo, preservam o meio ambiente. “A sustentabilidade vem junto com a riqueza que a produtividade trouxe, mas gerando um impacto positivo no social, ambiental e econômico,” disse.

Além de destacar a contribuição do país a economia verde mundial, o deputado estadual Raul Belém (CIDADANIA -MG) pontuou que produzir com responsabilidade ambiental é economicamente viável para o produtor. “Essa é uma grande oportunidade de negócios, de fazer a coisa certa, cumprir o nosso compromisso com as gerações futuras e fazer um negócio rentável,” complementa.

 

Na ocasião, Raul Belém entregou a Ordem do Mérito Legislativo Mineiro ao empresário Edson Trebeschi, por sua contribuição econômica e social ao estado de Minas. Hoje, Édson é o maior produtor de tomates do Brasil, e começou sua história na cidade de Araguari, referência em cultivo sustentável de legumes. O deputado também fez a entrega do Voto de Congratulações da Assembleia de Minas a Coocacer, pelas comemorações do aniversário de 30 anos.

 

O advogado Ronaldo Lemos, pesquisador, escritor e comentarista dos Canais GloboNews e Futura, participou do primeiro painel do Fórum. Durante o debate, ele citou o exemplo de crescimento do Vietnã no setor cafeeiro, que em 30 anos, conquistou uma fatia considerável da produção mundial e a aposta do país em criar uma rede global semelhante ao Starbucks, para entrar no mercado mundial fortalecendo sua própria identidade.

 

“Temos que apostar em denominação de origem, em cadeias de valor agregado. Precisamos contar melhor a nossa história, para não deixar que os outros contem por nós,” aconselhou.




 

Sustentabilidade, Tecnologia e Inovação sob vários pontos de atuação


No segundo momento do evento aconteceram os painéis simultâneos e neles foram apresentados workshops com temas relacionados ao momento atual vivido pelo agronegócio com foco em um posicionamento de liderança e protagonismo nas questões sustentáveis, bem como com o intuito de levar informação à classe de produtores rurais com forte presença no evento.

 

Entre os temas esteve a Cafeicultura 4.0 e a Denominação de Origem da Região do Cerrado Mineiro pelo diretor executivo da Federação dos Cafeicultores do Cerrado, Juliano Tarabal. O Acordo Verde da União Europeia e o alcance da plataforma de Rastreabilidade de Cafés do Brasil para o futuro recebeu a condução do diretor executivo do CECAFÉ (Conselho de Exportadores de Café do Brasil), Marcos Matos, cuja apresentação foi finalizada com o registro da representante da União Europeia, Giselle Galdi, que prestigiou o evento e foi homenageada neste momento.

 

Os participantes do evento também conheceram iniciativas de sustentabilidade da Região do Cerrado Mineiro como o Consórcio Cerrado das Águas e o Viveiro de Atitude, que são projetos que unem esforços com a cadeia produtiva do agro e comunidade para alcance de resultados eficientes para a mitigação dos efeitos das mudanças climáticas. O Educampo Café, um projeto SEBRAE, também foi apresentado como um case de sucesso na Região na gestão das propriedades. Os biomas brasileiros também serão temas de debate e discussões sobre sua proteção, uso inteligente e responsável da água, preservação do solo e como aliar pesquisa, tecnologia e inovação no agronegócio e na indústria para sua conservação.

 

A Embrapa esteve representada pelo chefe da Embrapa Cerrados, Sebastião Pedro da Silva Neto, o qual fez uma completa explanação sobre como a entidade tem trabalhado o tema sustentabilidade nos aspectos das emissões dos gases de efeito estufa (GEE) nos processos do agronegócio brasileiro e sobre a regulação do Crédito de Carbono e Serviços Ambientais no Agronegócio.

 

A programação também destacou o protagonismo feminino no agronegócio com a realização do primeiro “Encontro das Mulheres do Agronegócio na Região do Cerrado Mineiro”. O momento dedicado ao público feminino, discutiu temas relevantes que foram debatidos e explanados por mulheres que são referências na cafeicultura. O evento ainda enalteceu a trajetória das mulheres agropecuaristas com a participação de representantes da ABCZ Mulher e Sindicato Rural de Uberlândia.



 

Encerramento com caminhos traçados


A finalização do evento contou com a participação do Prefeito de Araguari, Renato Carvalho, e do Secretário de Meio Ambiente, Guilherme Santana, que apresentaram aspectos da gestão municipal que impactam na sustentabilidade em todo município e a lei municipal que traz o Selo Empresa Amiga do meio ambiente como uma ação do presente visando o futuro. A Diretora Executiva da COOCACER e do instituto IMAS, Eliane Cristina Barbosa, encerrou o evento relembrando os eixos de sustentabilidade do Projeto Café Sustentável que são pilares do evento, explicando que a partir da finalização do evento, os conteúdos, discussões e alinhamentos do Fórum e do Encontro das Mulheres do Agro, serão subsídios para elaboração do documento final que será apresentado em abril na Fenicafé com as metas para desenvolvimento e participação na COP30 no Brasil em Belém do Pará. A segunda edição do Fórum foi anunciada para 2025, resultado dos objetivos alcançados com a primeira edição. 




 

Lixo Zero e Selo Ecooar


A Coocacer Araguari e o IMAS, organizadores do evento, firmaram parceria com a Britvic Brasil, empresa líder no setor de bebidas não alcoólicas para promoverem impacto positivo na realização do evento com a ação “Lixo Zero”.

 

A empresa que foi uma das empresas patrocinadoras do Fórum, reforçou seu compromisso com a sustentabilidade ao conquistar a Certificação Lixo Zero em suas unidades fabris de Araguari e Astolfo Dutra, tornando-se as primeiras fábricas do ramo de bebidas em Minas Gerais a alcançar premiação. A unidade de Aracati, no Ceará, também obteve sucesso em seu processo de certificação pela companhia. O objetivo foi promover a máxima utilização dos resíduos, direcionando-os adequadamente para reciclagem e compostagem, algo que ocorreu durante o Fórum do Agronegócio Sustentável com Tecnologia e Inovação.

 

Para o Fórum do Agronegócio Sustentável com tecnologia e inovação, o selo ECOOAR foi buscado. Foram compensados 1846 quilos de CO² e realizado o plantio de 13 árvores. Iniciativas como estas evidenciam o objetivo do encontro que visou discussões sobre necessidades e soluções sobre como o setor pode agir para reduzir os efeitos do aquecimento global e mudanças climáticas. Logo, os projetos e ações de ambas as organizações, Coocacer Araguari e Britvic Brasil, fortalecem os objetivos do encontro e as ações da cadeia do agronegócio.

 

Apoio pela sustentabilidade


O Projeto Café Sustentável e o Fórum, contam com apoio oficial do Governo de Minas Gerais, Secretaria de Estado da Agricultura de Minas Gerais, Deputado Federal Zé Vitor; Deputado Estadual Raul Belém; Prefeitura Municipal de Araguari; Prefeitura Municipal de Indianópolis, Ademinas - Agência de Desenvolvimento de Minas Gerais, Região do Cerrado Mineiro e o SEBRAE que é atuante no desenvolvimento do agronegócio.

 

O patrocínio para a realização do Fórum fica a cargo de empresas e entidades apoiadoras do agronegócio. Juntos Imepac, Sicoob Aracredi; Syngenta; Nucoffee; Sicoob Aracoop, W2 Agronegócio, Timac Agro, Cafebras, Britvic Brasil, Trebeschi, Ofi/Olam, Maqnelson e John Deere, iDelta 4.0, EcoCash, Grider,  WebTV Araguari, Viveiro de Atitude e a Federação dos Cafeicultores do Cerrado formaram uma grande aliança como patrocinadores  e expositores.



______

 

Informações para a imprensa 

Polliana Dias 

(34) 98818-7718 

 

Talita Cristina 

(61) 99157-4504 

123 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Balanço do Agronegócio 2023

O Balanço do Agronegócio de Minas Gerais, elaborado, em sua 4ª edição, pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), apresenta os principais resultados da produção agrope

コメント


bottom of page